O Arcebispo de Guadalajara, Cardeal José Francisco Robles Ortega, presidiu a Missa de ordenação de 35 novos sacerdotes e 6 diáconos no Santuário dos Mártires em Guadalajara, estado de Jalisco (México).

Para os cerca de 8 mil fiéis presentes, segundo informou a Arquidiocese de Guadalajara, o Cardeal ressaltou a importância da realização dessas ordenações na Solenidade de Pentecostes, a festa do Espírito Santo.

“O Espírito Santo nos faz descobrir Deus como um Pai. Graças a Deus Espírito Santo, a Palavra de nosso Senhor Jesus Cristo é viva e eficaz em quem a escuta com humildade e com respeito”, disse o Purpurado em sua homilia.

O Cardeal Robles destacou que, “graças a Deus Espírito Santo, os sacramentos da Igreja não são rituais arcaicos que não dizem nada, mas atualizados e produzem em nós a salvação”.

“Graças a Deus Espírito Santo, a moral não é um acúmulo de normas, mas vida de seguimento de Jesus. Graças a Ele, a Igreja alcança corações e os converte. Ele age de maneira palpável em sua Igreja”.

A ordenação deste domingo, disse o Arcebispo de Guadalajara, “é a prova de que o Espírito Santo está vivo, presente e age. Esses jovens que já estavam unidos a Cristo através do Sacramento do Batismo e depois com a Crisma serão marcados com um selo que os identifica totalmente com Cristo, pastor, servo, esposo e servidor de sua Igreja”.

“Esses jovens, pela força do Espírito Santo, ficarão marcados para toda a eternidade como escolhidos para serem presença viva de Cristo em sua Igreja”, continuou.

O Cardeal também afirmou que “Pentecostes não é um acontecimento do passado, mas vivo, palpável e sensível, como estamos vivendo nesta celebração”.

Sobre a missão que agora cabe aos novos sacerdotes e diáconos, o Cardeal comentou que certamente “não será fácil, o seguimento fiel a Jesus Cristo não é fácil para ninguém, mas o Espírito Santo que chama e consagra garante para vocês os seus dons e sua graça para que sejam fiéis”.

“Todos sabemos que o que nossa Igreja menos precisa neste momento é que coloquemos mais manchas em seu rosto. Já tem muitas, tanto que muitos irmãos e irmãs têm dificuldades de reconhecê-la, têm vergonha de segui-la, tanto que muitos se separaram da vida da Igreja por causa deste escândalo que colocamos na Igreja”.

Por isso, disse o Cardeal mexicano, “o que a nossa Igreja precisa neste momento é de sacerdotes que queiram limpar, embelezar o rosto da Igreja com sua coerência de vida, vivendo e sendo o que são: homens consagrados a Deus, homens dedicados inteira e exclusivamente à missão”.

“Se esses jovens viverem assim, em coerência e em entrega a sua missão, estejamos certos, irmãos e irmãs, que vão contribuir para limpar o rosto da Igreja”.

Portanto, ressaltou o Purpurado, “queremos encomendá-los, por isso nosso acompanhamento não é apenas físico. Nosso acompanhamento é espiritual, pedindo a Deus Espírito Santo que os mantenha sempre fiéis e dedicados à missão”.

“Deus Espírito faz com que todo cristão e sacerdote sejam um missionário em saída, em busca da boa nova para todos os homens. Peçamos ao Senhor que estes irmãos diáconos e sacerdotes permaneçam fiéis ao dom de ser testemunhas de Cristo e enviados”, concluiu o Cardeal Robles.

Via ACI Digital