Liturgia Dominical – Solenidade da Santíssima Trindade

(branco, glória, creio, prefácio próprio – ofício da solenidade)
Bendito seja Deus Pai, bendito o Filho unigênito e bendito o Espírito Santo. Deus foi misericordioso para conosco.

Felizes nos reunimos em comunhão com as pessoas da Santíssima Trindade, o Deus único que nos conduz e nos convida a fazer parte de sua vida trinitária. Bendizemos o Pai criador, o Filho salvador e o Espírito santificador. Acolhidos e amados pela Trindade santa, celebremos na alegria de filhos e filhas de Deus, como povo que ele escolheu

Primeira Leitura: Deuteronômio 4,32-34.39-40

Leitura do livro do Deuteronômio – Moisés falou ao povo, dizendo: 32“Interroga os tempos antigos que te precederam, desde o dia em que Deus criou o homem sobre a terra, e investiga de um extremo ao outro dos céus se houve jamais um acontecimento tão grande ou se ouviu algo semelhante. 33Existe, porventura, algum povo que tenha ouvido a voz de Deus falando-lhe do meio do fogo, como tu ouviste, e tenha permanecido vivo? 34Ou terá jamais algum deus vindo escolher para si um povo entre as nações por meio de provações, de sinais e prodígios, por meio de combates, com mão forte e braço estendido, e por meio de grandes terrores, como tudo o que por ti o Senhor vosso Deus fez no Egito, diante de teus próprios olhos? 39Reconhece, pois, hoje, e grava-o em teu coração, que o Senhor é o Deus lá em cima no céu e cá embaixo na terra e que não há outro além dele. 40Guarda suas leis e seus mandamentos que hoje te prescrevo, para que sejas feliz, tu e teus filhos depois de ti, e vivas longos dias sobre a terra que o Senhor teu Deus te vai dar para sempre”. – Palavra do Senhor.

 
 

Salmo Responsorial: 32(33)

Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança.

1. Reta é a Palavra do Senhor, / e tudo o que ele faz merece fé. / Deus ama o direito e a justiça, / transborda em toda a terra a sua graça. – R.

2. A Palavra do Senhor criou os céus, / e o sopro de seus lábios, as estrelas. / Ele falou e toda a terra foi criada, / ele ordenou e as coisas todas existiram.– R.

3. Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem / e que confiam, esperando em seu amor, / para da morte libertar as suas vidas / e alimentá-los quando é tempo de penúria. – R.

4. No Senhor nós esperamos confiantes, / porque ele é nosso auxílio e proteção! / Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, / da mesma forma que em vós nós esperamos! – R.

 

Segunda Leitura: Romanos 8,14-17

Leitura da carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos, 14todos aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 15De fato, vós não recebestes um espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes um espírito de filhos adotivos, no qual todos nós clamamos: Abá, ó Pai! 16O próprio Espírito se une ao nosso espírito para nos atestar que somos filhos de Deus. 17E, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo; se realmente sofremos com ele, é para sermos também glorificados com ele. – Palavra do Senhor.

 

Evangelho: Mateus 28,16-20

Aleluia, aleluia, aleluia.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito divino, / ao Deus que é, que era e que vem, / pelos séculos. Amém (Ap 1,8). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 16os onze discípulos foram para a Galileia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. 17Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram. 18Então, Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. 19Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo 20e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”. – Palavra da salvação.

Reflexão

Celebramos neste domingo a Solenidade da Santíssima Trindade. A fé na Trindade configura um modo todo especial e original da fé cristã: cremos em um só e único Deus, mas que não é sozinho, é comunidade de Amor. Sim, Deus é um em sua natureza e trino nas pessoas. A divindade é toda no Pai e no Filho e no Espírito Santo. Elas, as três Pessoas, são o único Deus.

Este mistério da fé nos foi revelado por Jesus Cristo. Em diversos momentos do Novo Testamento identificamos a manifestação trinitária de Deus. Lembremo-nos do Batismo de Jesus no rio Jordão em que se pôde contemplar a presença do Pai pela voz, do Filho pela humanidade e do Espírito como que em forma de pomba. Recordemo-nos, ainda, da Transfiguração do Senhor na qual também a Santíssima Trindade se manifestou. Dentre outros acontecimentos, é importante ter mente que a vida cristã se inicia, conforme mandato de Jesus, em nome da Trindade: “batizai em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”.

A primeira leitura desta Solenidade indica a fé judaica, a qual compartilhamos: só há um único Deus. A segunda leitura mostra o específico do cristianismo: Deus é Pai de um único Filho e derrama o Espírito sobre nós, fazendo-nos filhos no Filho pelo Espírito. Em suma, a vida cristã é uma realidade de ordem trinitária – e isto nos foi revelado por Aquele que tem toda autoridade no céu e sobre a terra.

Pe. Thales Maciel Pereira, Diocese de Lorena/SP

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • chat
    Adicionar um comentário