Primeiro cego a se tornar padre em Portugal será ordenado em julho

Tiago Varanda nasceu em 1984, em Lamego, Portugal, com glaucoma congênito. Ao longo da infância e da adolescência foi perdendo a visão a ponto de, aos 16 anos, já precisar de uma cadela-guia em tempo integral. Quem cumpre a missão de “ser os seus olhos” hoje é a doce labradora Ibiza.

Mas a cegueira física em nada prejudicou a visão da alma do jovem Tiago, que “viu” com luminosidade Jesus a chamá-lo. Aliás, ele mesmo diz que a cegueira dos olhos do corpo lhe rendeu maior acuidade em outras faculdades, como a de saber ouvir com mais serenidade:

“Considero que a capacidade de escuta é dos melhores instrumentos que levo para a vida como sacerdote; é das coisas mais maravilhosas que levo daqui. Um sacerdote tem de ser um homem de escuta! A sede que as pessoas têm de Deus reflete-se na necessidade de desabafarem, de terem alguém que as escute. As pessoas têm sede de Deus e, se não as escutarmos, vão procurá-lo em outros lugares”.

Ele não é, certamente, o primeiro sacerdote cego de Portugal, mas é o primeiro cego a se tornar sacerdote no país:

“Há padres que ficaram cegos com a velhice ou com alguma doença, mas tinham visão quando foram ordenados. O meu caso é diferente. Perdi a visão aos 16 anos e já estava cego quando fiz o meu percurso acadêmico e religioso”.

Fora de Portugal já houve outros casos de homens cegos serem ordenados padres.

Tiago receberá a ordenação como sacerdote católico no próximo dia 14 de julho, em cerimônia celebrada por dom José Ortiga, arcebispo de Braga.

Via Aleteia

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • chat
    Adicionar um comentário