A Sagrada Escritura nos mostra em inúmeros casos como Deus dá ao homem uma vocação, através de um chamado, e, pacientemente, espera pela sua resposta.

A palavra vocação provém do substantivo latino “vocatio”, que significa chamado, convocação. Quando a pessoa corresponde a esse chamado, produz-se uma união entre o humano e o divino, entre o tempo e a eternidade, entre a criatura e o Criador. É através da vocação específica de cada um que Deus entra em diálogo com o escolhido, dando-lhe oportunidade de traçar um projeto de vida orientado ao seu próprio bem e ao do conjunto do qual faz parte. Por meio da vocação o homem colabora, de alguma maneira, na construção do Reino de Deus no mundo.

Deus está muito perto de nós. Deus caminha conosco. Deus é sensível aos acontecimentos que envolvem nossa vida. O livro do Êxodo 3,7-10 apresenta este caminho de Deus que nos acompanha em nossa caminhada. Ele vê, fala, ouve e tem sensibilidade com o sofrimento dos outros. Deus toma partido. Diante da injustiça e da opressão, também se indigna. O Redentor quer seu povo redimido!

Deus chamou Noé e lhe deu uma tarefa, aos olhos dos demais uma loucura, mas Deus provou que não era assim. À resposta de Noé, Deus se faz presente e o engrandece.

Deus chamou Jeremias, que queria se esquivar do chamado: “Senhor, eu não sei falar, sou ainda uma criança” (cf. Jr 1,6) “Eis que ponho as minhas palavras na tua boca”(cf. Jr 1,9).

Deus chamou Jonas e o mandou anunciar. E assim Deus chamou tantos outros e os dotou com a força da sua palavra, a arma maior.

Um chamado especial Deus faz a Maria Santíssima e esperava a sua resposta e inicia uma obra nova através de seu Sim.

Maria nos traz Jesus, palavra encarnada do Pai, que por sua vez chama tantos outros para o seguir e anunciar sua Palavra de Vida.

Hoje, Deus continua chamando. Muitos chamados ainda hoje respondem “sim” ao Senhor e experimentam maravilhas. Homens e mulheres, santos e santas se comportam assim, sempre atentos à Palavra do Senhor. Hoje são muitos os que são chamados. Hoje também você é chamado em sua vocação.

Vocação ao matrimônio na criação e encaminhamento de filhos e filhas de Deus que são confiados aos seus cuidados. Vocação à vida religiosa, consagrados ou não. Vocação ao ministério ordenado.

O Papa Bento XVI alertou sobre a importância da promoção da Pastoral Vocacional nas Dioceses: “É preciso que cada Igreja local se torne cada vez mais sensível e atenta à pastoral vocacional, educando em âmbito pessoal, familiar, paroquial e associativo, sobretudo os adolescentes e os jovens – como Jesus fez com os discípulos – para maturarem uma amizade genuína e afetuosa com o Senhor, cultivada na oração pessoal e litúrgica; para aprenderem a escuta atenta e frutuosa da Palavra de Deus, através de uma familiaridade crescente com as Sagradas Escrituras; para compreenderem que entrar na vontade de Deus não aniquila nem destrói a pessoa, mas permite descobrir e seguir a verdade mais profunda de si mesmos; para viverem a gratuidade e a fraternidade nas relações com os outros, porque só abrindo-se ao amor de Deus é que se encontra a verdadeira alegria e a plena realização das próprias aspirações. «Propor as vocações na Igreja local» significa ter a coragem de indicar, através de uma pastoral vocacional atenta e adequada, este caminho exigente do seguimento de Cristo, que, rico de sentido, é capaz de envolver toda a vida”. (https://w2.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/messages/vocations/documents/hf_ben-xvi_mes_20101115_xlviii-vocations.html. Último acesso em 09 de março de 2018).

Rezemos pela santificação do clero. A primeira obrigação do presbítero é anunciar o Evangelho e a celebração dos sacramentos, em especial a Eucaristia. Depois do Concílio Vaticano II se produziu aqui e ali a impressão de que a missão do sacerdote em nosso tempo fosse qualquer coisa de mais urgente que o anúncio da Palavra e a administração dos sacramentos, porque houve quem pensasse que se devesse em primeiro lugar construir uma sociedade diferente. Bento XVI já advertia que devem ser os “elementos sempre essenciais” do ministério sacerdotal: “Anúncio e poder, isto é, Palavra e sacramento”, que são “os dois pilares fundamentais do serviço sacerdotal, para além de suas possíveis e múltiplas configurações” sem os quais “se torna muito difícil compreender a identidade do presbítero e de seu ministério na Igreja”. Ao faze-lo e com a mudança de coração e mentalidade na vida de conversão, as consequências serão também o contágio com o bem o mundo de hoje.

A nossa primeira vocação, como batizados, é a da oração pela Igreja. E, na Igreja Particular, se concretiza a Igreja Católica, por isso não nos descuidemos de rezar pelos nossos padres, mas, também, por toda a Igreja.

Chamados gerais para obter respostas pessoais. Deus continua chamando. Qual será a sua resposta?

Por Cardeal Orani João Tempesta , Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)